Quase metade da população adulta do Brasil está endividada

postado em: entrevistas | 0

Os bancos começaram a oferecer a antecipação do 13º salário.

Em março deste ano, o número de consumidores inadimplentes chegou a 63 milhões de brasileiros, segundo o Serasa Experian. Diante do cenário de dificuldades financeiras — atualmente, 40,3% da população adulta do País estão com dívidas — os bancos começaram a oferecer a antecipação do 13º salário.

Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander já estão disponibilizando o crédito. Dependendo do banco, o cliente pode antecipar até 100% do 13º salário. A modalidade, que é um empréstimo, tem juros a partir de 1,79% ao mês, dependendo da instituição, abaixo de outras modalidades de crédito, como o empréstimo pessoal e o cheque especial, que variam, respectivamente, de 5,3% a 11,8% ao mês.

Mesmo com condições atraentes, os especialistas ponderam que este empréstimo, como qualquer outro, deve ser contratado apenas por quem tem dívidas e precisa se livrar deste peso no orçamento o quanto antes.

“A antecipação do 13º é vantajosa para quem tem dívidas, principalmente as com encargos altos”, explica Virgínia Prestes, professora de Finanças da Faap. “Esses empréstimos têm taxas de juros mais baixas porque os bancos têm a garantia de que a quantia será paga.”

Comparar condições

Virgínia aconselha, porém, que, antes de contratar a antecipação do 13º, a pessoa verifique a taxa de juros que será cobrada na quitação da dívida:

“É importante que a pessoa tenha conhecimento sobre a dívida, principalmente sobre os juros cobrados. Antes de pedir a antecipação, é importante ver junto ao banco as condições para a quitação.”

Na avaliação dos especialistas, a antecipação do 13º salário tem uma importante vantagem: a quitação de uma única vez. Nesta modalidade de crédito, a pessoa não precisará arcar mensalmente com uma parcela de empréstimo. O valor contratado será pago de uma só vez, quando o 13º cair na conta.

“No caso de uma pessoa endividada, quando ela antecipa o 13º, quitará as contas em aberto e ficará livre de parcelas ao longo do ano”, explica Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor de pesquisas econômicas da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças).”Como a renda mensal não será alterada, fica mais fácil organizar o orçamento para não contrair uma nova dívida.”

No caso de um eventual desemprego, porém, será necessário quitar o valor total junto ao banco. Caso isto aconteça, a recomendação é guardar o dinheiro da rescisão para pagar o empréstimo da antecipação.

A atratividade dos juros cobrados no empréstimo de antecipação do 13º é um fato. Entretanto, os especialistas aconselham que o interessado nesta modalidade de crédito pesquise bem antes de contratar, já que a variação entre os bancos é grande. Entre as cinco grandes instituições financeiras, as taxas na antecipação vão de 1,79% a 3,19% ao mês.

No caso de uma antecipação de um 13º salário de R$ 2.500, por exemplo, feita ainda neste mês e quitada em dezembro, se descontados os juros mensais de 1,79% nestes oito meses, o cliente receberá R$ 2.169. Se o percentual mensal for de 3,19%, a quantia cai para R$ 1.944.

“É importante pesquisar para tentar conseguir a condição mais vantajosa”, pontua Virgínia.

Gastos extras

No caso de uma pessoa que não tem dívidas e pensa em antecipar o 13º apenas para fazer alguma compra, os especialistas não aconselham que o empréstimo seja feito.

“Quando você antecipa um dinheiro que só receberia no fim do ano, fazendo uma analogia, é como se estivesse comendo o jantar do dia seguinte”, diz Oliveira, da Anefac.

Ele lembra que os períodos de fim e início de ano são marcados por gastos extras pontuais, como produtos para a ceia, IPTU, IPVA e matrícula escolar, entre outros:

“Quando você antecipa o 13º salário, precisa lembrar que, no fim do ano, não terá este dinheiro para suprir alguma eventualidade. Então, a decisão de receber antes a quantia deve ser bem estudada.”

O que os especialistas também recomendam é o planejamento do orçamento para que a pessoa não volte a ficar endividada em um futuro próximo.

“Não faz sentido antecipar o 13º para quitar uma dívida e, em um curto espaço de tempo, contrair um novo empréstimo”, comenta Oliveira.

Valores variam

No Banco do Brasil, o cliente pode antecipar até R$ 20 mil do 13º, a uma taxa a partir de 2,89% ao mês. No Bradesco, o limite de antecipação é de R$ 100 mil, com juros a partir de 1,79% ao mês. A Caixa Econômica Federal permite que sejam antecipados até R$ 20 mil, e a taxa na operação é a partir de 3,19% ao mês.

No Itaú, há duas linhas de antecipação: uma para clientes varejo e Uniclass e outra para clientes Personnalité. Na primeira, é possível antecipar até R$ 5 mil. Na segunda, o limite é de R$ 10 mil. Os juros são a partir de 1,9% ao mês.

O Santander permite antecipar até R$ 8 mil do 13º salário. Os juros são a partir de 2,59% ao mês.

(O Sul)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *